• http://twitter.com/anjos_bruna Bruna

    Na minha escola, também sofro bullying e entendo tudo o que você passa nesse aspecto: Pessoa te xingando, jogando papéis em você, pedaços de borracha, papéis de bala, tampas de caneta ou qualquer lixo encontrado no chão. Acho que o pior de tudo isso é se sentir sozinha, no meio de pessoas que te odeiam. E não tem motivo, eu nunca fiz nada pra ninguém ali, justo eu que sempre faço de tudo pra estar agradando as pessoas, não gosto de discussão, de briga. Quando você tenta se abrir com alguém, a pessoa simplesmente diz: Ignora! Não é fácil como parece, isso machuca muito, sinto muita vontade de chorar, mas se chorar só vai piorar as coisas, vai deixar todos mais convictos de que estão te atormentando. Eu só gostaria de saber o que eles ganham com isso, fazendo da vida de outra pessoa um inferno. Tem horas que nada mais ajuda, só chorar até não aguentar mais. Eu queria muito poder te dar um conselho, mas estou vivendo a mesma situação, não sei nem o que fazer.

  • Isabella

    Olha eu sofro desse problema , eu chego na escola e tem uma menina irfenal (Julia) , ela nao me deicha em paz sempre vo pr ditoria com ela mas ela me atiça , ela fica falando as coisas que eu gosto assim sabe mas no fim disso acabo me ferrando ela fica esrevendo bilhetes pras minhas amigas e falando que é eu por que ela tem uma letra super parecida com a minha !! , eu esto no Colegio Anjo da Guarda BEBEDOURO/SP , E quero mudar para o Colégio Convivio e os meus paiis nao deicham de geito nenhum por favor me ajudem ! BJOS ISAAAAH

  • angelo

    uma palavra amiga é sempre boa,uma pessoa com que possamos contar sempre da uma sensação de segurança mas quando essa pessoa some de uma vez fica um vazio. eu ACHO que ela deve ter amigas converse com elas.Quanto à esse cara bem algumas horas temos que ceder as namoradas e vice-versa porém há limtes.manias por exemplo podem ser impostas mas se o cara foi submisso o suficiente(ou amar demais ou até mesmo o s dois) tens que entender que ele tem uma vida propria.Você provavelmente vai achar outra pessoa assim a vida é longa=D não se prenda a nada.Sobre os pais bem eles são protetores seus e voce deve aceitar certas coisas impostas por eles e dialogar sobre outras.Pense se eles te protegem tanto é porque te amam mais além do mais voce não quer viver como o seu irmão apenas de festas cigarro bebidas.Se fosse assim você não seria saudável
    abraços e espero ter ajudado com meu comentário confuso

  • Natália

    Eu sou filha única e tenho dezesseis anos. Meus pais também surper me protegem, são rígidos com essas coisas de horários, pra onde vou, com quem vou… O meu conselho maior é: demonstre responsabilidade e maturidade. Faça questão de dizer com quem vai, que horas vai voltar, o que vai fazer lá. Volte na hora combinada, atenda o celular quando eles ligarem, ligue quando chegar ao local… É CHATÍSSIMO, principalmente quando você vê todas as outras pessoas fazendo o que querem e indo pra lugares que você não pode ir. Mas acredite: quando mudei meu tipo de atitude, as coisas melhoraram. Meus pais ainda me controlam bastante, mas beeeem menos do que antes, e só porque eu os matinha informados e tranquilos. O que não adianta é ficar com raiva e brigar!

    O que nossos pais fazem é puro medo. Uma menina que estudou comigo na oitava série e no primeiro ano, a T., era bem diferente de mim. A mãe dela deixava ela fazer tudo o que queria, ela bebia, fumava… Meus pais não deixavam eu andar com ela e eu morria de raiva disso! Semana passada eu a encontrei no shopping com o namorado, o sogro e o filho de dois meses dela :)

    M., por mais que seus pais pareçam caretas, chatos e peguem no seu pé, isso só demonstra que eles se preocupam com você. Eu aprendi a entender o lado dos meus pais e ajudá-los a confiar em mim. É um processo longo e demroado, mas vale a pena. A comunicação é a chave para qualquer tipo de relação, seja com os pais, com o namorado ou até com o problema de bullying que você passa.

    Sei que é meio tardio, mas espero ter ajudado!
    Super beijo,
    Nats.

  • Larissa

    Oie colega do e-mail. Eu me chamo Larissa e tenho 21 anos
    Eu posso falar para você, de experiência própria o que eu passei na minha época de ens. fundamental e ens. médio. Infelizmente, além desse sofrimento todo que você passa, eu sofria alguns mais: o pessoal das salas faziam competições de alunos + bonitos, + feios, + queridos, e etc.. eu sempre ganhava como a mais feia, mais estranha e a que os meninos nunca ficariam; Nunca também fui dos padrões de beleza, pois imagina só: uma menina de 11 anos, qse 1,80 m de altura, magricela, cabelos castanhos pouco armados e usava óculos! Eu era motivo de chacota do pessoal.
    Infelizmente, estes traumas não foram superados, e sofro até hoje de baixo alto estima. Não possuo nenhuma, pra falar a verdade. Toda vez que me interesso por um cara, sempre acho que não o mereço, porque existem mtas mulheres mais lindas que eu, e que o cara poderia se interessar. Nesse ponto eu não poderia te ajudar.

    Na minha família, eu era comparada à uma prima caçula também, pelo fato dela nunca querer namorar (minhas amizades sempre foram masculinas), dela ajudar a avó nos serviços domésticos (nunca gostei), dela ser linda e etc. Minha madrinha (e tia dessa “prima”) chegou a falar pra minha mãe, que eu era uma tremenda vagabunda, só pelo fato de que eu ficava com meu vizinho escondido da minha família, já que meus pais não aceitavam namoro antes dos 15 e eu tinha 13 na época. Pois bem, sabe o que aconteceu: minha “prima” fugiu de casa aos 15 anos e a minha madrinha precisou ir buscar-la debaixo da cama do namorado. Ela casou grávida aos 17 anos de idade. Quem era a vagaba da história, afinal? 
    Como foi aconselhado, acho bem viável que você mostre um defeito para seus pais e prove q ela não é tão perfeita quanto eles acham. Porém, cuidado ao falar isso, pois assim você poderá estar parecendo birrenta e mimada. Outra coisa: prove apenas uma vez. Saiba que a vida mostrará para seus pais, uma hora ou outra, quem é de fato, a pessoa perfeita. (nunca achava que isso iria acontecer, devido minha história… eu fiquei na minha, e não precisei falar nada para os meus pais. A vida mostrou não só para meus pais, mas como para a família toda, quem era a errada de tudo).

    Sobre a pressão de seus pais: isso é proteção, mesmo que excessiva. Tenho um irmão de 16 anos, q tem muito mais liberdade que eu tive na idade dele. Só comecei a sair fazem +/- 2 anos, e isso pq eu namorava dentro de casa. Entenda o lado do seu pai de vez em quando, mas não deixe de conversar com seus pais (conversar e não gritar, espernear).

    Espero ter ajudado